quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Uma máquina de perder dinheiro

Romário perdeu em poucos meses a fortuna amealhada durante décadas. Saiba o que você pode aprender com isso

Os tropeços financeiros de Romário renderam a ele dívidas estimadas em 8 milhões de reais

Os altos salários e as contratações milionárias no futebol são um belo atrativo para um crescente número de aspirantes a ídolos dos gramados. São poucos, entretanto, os jogadores que conseguem se destacar nesse mercado tão competitivo. Entre eles, está o carioca Romário de Souza Faria, de 43 anos, craque da conquista do tetracampeonato pela seleção brasileira na Copa do Mundo de 1994. Durante mais de 20 anos de carreira, o "Baixinho" faturou milhões no Barcelona e no holandês PSV e foi um dos jogadores mais bem pagos do país entre 1999 e 2001, quanto recebia a bolada mensal de 450.000 reais mensais atuando pelo Flamengo e pelo Vasco.

Considerado o melhor jogador do mundo em 1994 pela Fifa, Romário não se mostrou o mesmo craque como administrador de fortunas. Suas economias são insuficientes hoje para quitar as dívidas, estimadas em cerca de 8 milhões de reais. O passivo foi acumulado em 28 derrotas sofridas na Justiça do Rio de Janeiro - entre ações cíveis, trabalhistas e tributárias. A tendência é de que novos débitos surjam ao longo dos próximos anos, quando o ex-jogador deverá responder a mais de 40 processos ainda em curso.

O afundamento em dívidas é resultado de uma sucessão de tropeços na administração das contas. Veja a seguir os oito principais gols contra do "Baixinho" - e as lições que você pode tirar disso.

1) Driblar o Fisco
O ex-jogador foi desarmado ao tentar driblar o Fisco. Em sentença do dia 9 de junho, conforme determinação do juiz da 8ª Vara Criminal Federal, Gilson David Campos, Romário foi condenado por deixar de declarar à Receita Federal mais de 1 milhão de reais entre 1996 e 1997, quando era garoto-propaganda da Brahma e jogava pelo Flamengo. Ele foi condenado a três anos e meio de prisão por crime tributário, além de ter de pagar uma multa de 1,7 milhão de reais. A pena, no entanto, poderá ser substituída por prestação de serviços comunitários, já que o "Baixinho" é réu primário e a condenação é inferior a quatro anos. Seus advogados ainda recorrem da decisão.

Comentário do consultor financeiro Mauro Calil, do Centro de Estudos e Formação de Patrimônio Calil & Calil: Foi-se o tempo em que era possível esconder algo da Receita Federal. A pressão do governo federal por maior arrecadação e os crescentes investimentos em informatização, aliados a leis que buscam a prevenção de lavagem de dinheiro e sonegação, permitem que a Receita cruze dados de consumo e renda dos contribuintes a partir do número do CPF. Com esse levantamento em mãos, servidores cada vez mais treinados e motivados fazem o trabalho que pode resultar em multas e condenações. Acordos internacionais que surgiram após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos também permitem a troca de informações e o mesmo tipo de cruzamento de dados com outros países.

2) Dar um chapéu na pensão alimentícia
Romário é reincidente em tentar dar um chapéu no pagamento da pensão alimentícia dos filhos - e se dar mal. No mês passado, ele chegou a ser preso por atrasar a pensão que deveria ser paga a Mônica Santoro, com quem tem dois filhos: Moniquinha, de 19 anos, e Romarinho, de 15. Em 2004, ele já havia sido detido pelo mesmo motivo em ação movida pela mesma Mônica. Na ocasião, Romário ficou seis horas detido. Desta vez, o tempo na delegacia foi maior: 22 horas. O ex-jogador havia deixado de depositar 90 000 reais na conta de Mônica. Na audiência de conciliação, chegou com o comprovante do depósito e foi liberado.

A batalha judicial entre os dois, no entanto, ainda está longe de terminar. Romário pretende reduzir o valor de 18.000 reais mensais pagos aos filhos. Além da pensão, Mônica briga na Justiça também por parte dos bens do ex-jogador como dois terrenos no Recreio, um prédio em Vista Alegre e três apartamentos na Barra da Tijuca. Um desses apartamentos foi à leilão no dia 28 de julho, pelo valor de 8,9 milhões de reais. Já o ex-jogador acusa a ex-mulher de usar o dinheiro da pensão para pagar cirurgias plásticas e compras de roupas e sapatos.

Comentário de Mauro Calil: Da mesma forma que o casamento traz estabilidade aos cônjuges, gera despesas também. A separação transforma a vida de pai, mãe e filhos em uma constante disputa, seja financeira ou emocional, com desgaste para todos. A energia que antes era usada para construir agora será gasta para não perder. A pensão para todos os filhos menores e, em alguns casos, para dependentes de até 24 anos será decidida pelo juiz levando em consideração diversos fatores, como o estilo de vida e a condição social antes da separação. O limite da pensão é de 30% da renda de quem paga a pensão. A pensão alimentícia é uma dívida e seu não-pagamento pode resultar em condenação de reclusão. (Continua)


3) Empreendedor de terceira divisão
Num ímpeto de empreendedorismo, Romário decidiu investir no ramo dos bares. Em novembro de 1998, inaugurou o Café do Gol, o primeiro bar temático de futebol do Rio que custou cerca de 5 milhões de reais. Após um ano e meio de funcionamento, o estabelecimento fechou as portas. Ressurgiu em 2001, com um novo nome: Bingo Café do Gol. Mas o novo batismo não foi suficiente para alavancar os negócios e o bar teve de fechar as portas cinco meses depois. O saldo da experiência: treze ações trabalhistas. Além disso, Romário tem uma dívida com a empresa Koncretize Projetos e Obras, que ganhou um processo de 2001 pelo não-pagamento de uma construção. O débito, que na época era de 3,190 milhões de reais, pulou para 7,6 milhões de reais, conforme atualização dos cálculos.

Comentário de Mauro Calil: Na escala de risco de investimentos o empreendedorismo é o que apresenta maior grau, precedido pelo investimento em ações de boas empresas (risco médio) e da renda fixa (risco baixo). Segundo pesquisa do Sebrae, 64% das empresas fecham as portas nos seis primeiros anos de atividade. Se você pensa em empreender, saiba que é necessário muito mais que uma ideia e dinheiro no bolso. É necessário "ser do ramo". Caso não tenha conhecimento sobre como tocar um negócio, prefira tornar-se sócio de uma grande empresa brasileira com ações na Bovespa. Para o investidor de longo prazo, essa alternativa é menos arriscada. Seu maior cuidado será verificar se os lucros da empresa continuam crescentes a cada trimestre.

4) O banco Romário
A aposentadoria do craque anunciada no ano passado não parecia um problema. Afinal, apesar de tantas dívidas, ele contava com um crédito de, pelo menos, 20 milhões de reais que teria direito referente a empréstimos ao Flamengo e ao Vasco. A dívida com o Flamengo, inicialmente estimada em 15 milhões de reais, começou a ser quitada em 2003, em parcelas de 108.000 reais, com previsão de término para 2016. Com as atualizações monetárias, o valor total saltou para 20 milhões de reais. Já o Vasco, o último time que defendeu e no qual iniciou a carreira profissional, sustou o pagamento em novembro do ano passado, previsto para ser completado em 2019. A nova gestão, do presidente Roberto Dinamite, questiona o montante negociado por Romário com o presidente anterior, Eurico Miranda, e aguarda a conclusão de uma auditoria nas contas do clube. O Vasco resolveu dar um prazo para que Romário apresente documentos para comprovar a dívida. Em 2004, o então presidente Eurico Miranda assinou uma confissão de dívida, que foi aprovada no Conselho, de cerca de 22 milhões de reais. Romário foi notificado da suspensão do pagamento, mas ainda não apresentou documentos que comprovem a dívida para que a situação seja normalizada. Caso isso não aconteça, o clube vai desconsiderar a dívida.

Comentário de Mauro Calil: Todos temos amigos e parentes que uma vez na vida vão nos pedir dinheiro emprestado. Caso ceda à pressão familiar, tome cuidado. O termo de confissão de dívida atesta que você é credor, mas não garante o pagamento da dívida caso o devedor não tenha dinheiro para saldá-la. Por isso, busque alternativas ao empréstimo, como se oferecer para comprar o carro ou a casa - e, neste caso, cobre o aluguel. Somente em última hipótese e no caso de emergências ofereça o dinheiro. Ao emprestar recursos a um amigo, você pode perder o dinheiro e o amigo. (Continua)

5) A briga das galinhas
Quem não se lembra da cena em que Romário agredia um torcedor que havia jogado galinhas em protesto contra o mau desempenho do Fluminense em 2003, onde o "Baixinho" jogava na época. Por não ser algo que aconteceu dentro de campo, a punição foi bem maior que a de um cartão vermelho. A briga foi levada à Justiça e, em 2007, Romário teve de pagar uma indenização de 60 salários mínimos a Ricardo Gomes, presidente da torcida organizada do Fluminense.

Comentário de Mauro Calil: Nem sempre é fácil manter a calma. Todos temos maus momentos e pode haver pessoas dispostas a lucrar com nossa insatisfação mesmo que momentânea. Mesmo que seja difícil, manter a cabeça no lugar quando um motoqueiro descuidado ou mal intencionado leva o espelho retrovisor do carro é melhor que arrumar uma briga no trânsito. O prejuízo de um espelho retrovisor será menor que uma briga judicial, tanto financeiramente quanto emocionalmente.

6) Os carros de luxo
Talvez por sofrer com os carrinhos dos adversários, Romário sempre valorizou um automóvel de luxo. Na lista de seus bens, Romário declara ter uma Ferrari, um Porsche, uma Mercedes Benz e uma moto BMW. Só a Mercedes, modelo ML 320 ano 1999, tem 65.749 reais de IPVA a pagar. A Ferrari F1 360 Modena, comprada em 2000, custou a bagatela de 330.000 dólares. A coleção de Romário está entre os bens avaliados pela Justiça para quitar parte de suas dívidas.

Comentário de Mauro Calil: Muitos itens de consumo parecem patrimônio, mas, na verdade, são fontes de despesa. Todos podemos nos dar presentes. Porém, o custo de um presente, muitas vezes, vai além de seu preço de aquisição. Carros e imóveis de praia ou campo trazem junto, além do prazer, custos de manutenção, seguro e impostos. Quanto mais caro o bem, maior o preço de seus impostos e contas adicionais. (Continua)


7) Pendências imobiliárias
Há seis anos Romário simplesmente deixou de pagar o condomínio do prédio onde mora, na Barra da Tijuca, e chegou a ficar sete anos sem pagar o IPTU. É a mesma situação no imóvel onde vivem Mônica e os filhos, fazendo com que a dívida nos dois apartamentos ultrapasse os 3 milhões de reais. Para complicar a situação, um ex-vizinho de Romário move um processo em que cobra uma indenização de 5,5 milhões de reais por causa de vazamentos em dois apartamentos no andar de baixo. A prefeitura do Rio, além de cobrar a dívida de IPTU do apartamento em que ele mora, calculada em 772.602 reais, cobra mais 170.000 reais referentes a outros tributos em atraso e multas.

Comentário de Mauro Calil: Ter implica em pagar. Se você pode ter, mas não pode sustentar, é melhor adequar seu padrão de vida para baixo. Fazendo isso, sua qualidade de vida será preservada, assim como a de sua família. Vale lembrar que seus herdeiros ficam com seu patrimônio, ou seja, bens, direitos e deveres (dívidas). Assim, pense nos filhos também e zere a conta.

8) A pirâmide de problemas
Dever dinheiro para muita gente parecia ser o maior problema do "Baixinho" até que a polícia carioca ligou seu nome a um esquema conhecido como pirâmide. Trata-se de um jogo de azar que incluía jogadores de futebol, policiais, bicheiros e pagodeiros e teria causado prejuízos de 10 milhões de reais. Romário nega implicação no caso, mas admite que conhecia dois integrantes do esquema. Para piorar a situação, um dos participantes, Glauber de Jesus Matos Nascimento, foi assassinado em janeiro deste ano. O delegado Sérgio Lomba, que investiga o caso, admitiu que o homicídio pode estar ligado a outro fato: a guerra por caça-níqueis na região. Mesmo assim, a polícia ainda procura Jorge Alexandre Tavares, que seria o cabeça e devedor na Pirâmide. As investigações já geraram prejuízos ao ex-jogador. Romário foi condenado recentemente pelo juiz Mario Olinto Cunha Filho, da 2ª Vara Cível Regional da Barra da Tijuca, a pagar uma indenização de aproximadamente 3 800 reais ao técnico de som Bruno Lima Freire, que teria recebido cheques sem fundos como pagamento de parte de um serviço. Seu nome também foi ligado ao esquema da pirâmide.

Comentário de Mauro Calil: Não há enriquecimento fácil, sem esforço. Essa frase não é minha, é de meu pai, que deve ter ouvido de meu avô e assim seguimos até Adão. Caso um amigo te mostre um atalho para o enriquecimento, desconfie e cheque a veracidade das informações. A internet permite a busca de muitas informações sobre empresas idôneas. Aquelas que não são idôneas são de difícil pesquisa ou apresentam poucas fontes. Cuidado com elas.

Outro lado

Procurado pelo Portal EXAME, o advogado de Romário não retornou as ligações. Enquanto as investigações se desenrolam, o craque evita entrevistas.


Por Francine De Lorenzo e Marcio Orsolini | 06.08.2009 | 08h53

Fonte:http://portalexame.abril.com.br/financas/maquina-perder-dinheiro-490055.html?page=full

Nenhum comentário:

Postar um comentário